11/10/2017

Professor de EAD com livro e tablet

A expansão de cursos a distância no Brasil amplia cada vez mais as possibilidades de atuação dos educadores. No entanto, a experiência adquirida no ensino presencial nem sempre garante passe livre para atuar com EAD, uma vez que essa modalidade possui processos de aprendizagem e dinâmicas de relacionamento diferentes das estratégias aplicadas em sala de aula. 

"Acredito que há professores com perfil para atuar apenas no presencial e outros que possuem mais facilidade na educação a distância. Ambos são mediadores do ensino e aprendizagem, mas o processo de mediação é intensificado na EAD", afirma Luciana Aparecida Santos, responsável pela coordenação da pós-graduação Tecnologias na Aprendizagem do Senac EAD.

A colega Josefa Gomes de Farias, que coordena a pós-graduação Gestão Estratégica em Educação a Distância, concorda. "Nem todos os professores têm facilidade ou gostam de usar a internet. Essa é uma das condições fundamentais para ser um bom professor de EAD", completa.

Abaixo, as profissionais indicam cinco habilidades essenciais para professores atuarem na educação a distância. 

1. Estimular o aluno a ser o protagonista de sua formação
As aulas expositivas no ensino presencial, com a presença do professor que apresenta os conteúdos de maneira sequencial, faz com que boa parte dos alunos organize os estudos baseada nesse fluxo.

Já na EAD, o próprio estudante define seu cronograma de estudos e tem um contato mais intenso com conteúdos que ainda não domina, exigindo uma postura dinâmica sobre seu processo individual de aprendizagem. Por isso, é preciso que o professor tenha um papel ativo na mediação para incentivar o protagonismo do aluno e auxiliá-lo nessa trajetória educacional.  

2. Estabelecer um relacionamento próximo com a turma
Um dos principais desafios na EAD é reduzir a distância física entre educadores e alunos, gerando a sensação de pertencimento e criando ambientes que possibilitem uma verdadeira troca de ideias e experiências entre os colegas.   

"Mesmo com todas as tecnologias disponíveis, o que faz a grande diferença na EAD é o valor humano das interações. Qualificar de forma significativa essa jornada educacional do aluno é um fator chave", diz Luciana.

Josefa relembra que esse foi o maior obstáculo enfrentado em seu início na educação a distância. "Foi preciso criar uma forma de interação que esquentasse a frieza do ambiente virtual. Então, passei a usar os recursos de interação como se fossem uma extensão da sala de aula, e não somente a única forma de comunicação", afirma.  

3. Desenvolver estratégia intensa de comunicação
Construir essa conexão com os estudantes demanda uma presença mais recorrente do professor em diferentes momentos ao longo dos cursos a distância.

"Diferentemente do presencial, em que leciono três ou quatro horas para uma determinada turma e vou encontrá-la na próxima semana, esse trabalho é escalonado constantemente na EAD", alerta Luciana. "São intervenções que vão desde anúncio de novas aulas e conteúdos até debates e relacionados aos temas trabalhados, aplicações e outras dinâmicas de interações. Por isso, nem todos os professores se adaptam facilmente a EAD", completa.

4. Ser um influenciador digital
Luciana explica que, por natureza, o professor precisa ser um bom comunicador, mas atuar com educação a distância exige ir além.

"É necessário que ele seja um influenciador digital, no sentido de promover estratégias de engajamento e atração aos temas e componentes curriculares em uma nova dimensão. É importante ter essa habilidade muito bem desenvolvida para manter os alunos presentes, mesmo que distantes", diz.

Josefa também concorda que é preciso ultrapassar o pacote básico de conteúdos programáticos, conectando os alunos com tendências, notícias e projetos que relacionem a formação com propósitos de desenvolvimento de vida e carreira.

5. Romper as barreiras da sala de aula
As profissionais ainda indicam que os professores de EAD devem aproveitar a oportunidade para romper as barreiras de um formato mais tradicional de ensino, potencializando a virtualização do espaço de aprendizagem para novas dinâmicas e conexões.

"Eles devem abraçar a oportunidade de reorganizar o escopo da atuação docente, agregando novas competências e habilidades. De quebrar a cápsula da sala de aula presencial e se tornar um arquiteto cognitivo, que desenha percursos de aprendizagem não lineares no processo de formação", afirma Luciana.

Confira os cursos na área de educação oferecidos pelo Senac EAD. 

Leia também:

Flexibilidade, diploma, networking: desconstrua 4 mitos sobre EAD

Profissional sinaliza oportunidades que surgem com expansão da EAD

Tecnologia reduz distância física e aproxima pessoas que cursam EAD