03/10/2017

Jovem sentada segura notebook

Com milhões de alunos no Brasil, a educação a distância atrai cada vez mais interessados pela flexibilidade de estudo e custo-benefício que oferece. No entanto, alguns mitos ainda giram em torno da EAD.

"Algumas pessoas associam a educação a distância como sendo uma modalidade mais fácil para conseguir o diploma, e não é isso. É preciso estudar muito", alerta Alcir Vilela Júnior, gestor do ensino superior do Senac EAD, em entrevista com transmissão ao vivo no perfil do Portal R7 no Facebook.

Durante a conversa, Alcir teve a oportunidade de esclarecer diversas dúvidas do público relacionadas aos cursos EAD, desconstruindo quatro mitos comuns sobre a educação a distância.

Flexibilidade x facilidade
Um dos principais benefícios da EAD é a flexibilidade que o aluno possui para definir o melhor local e horário de estudo de acordo com seu dia a dia. Mas é importante que o estudante não confunda flexibilidade com facilidade. 

"É equivocado achar que o aluno vai estudar menos. Às vezes, é até o contrário, tem que estudar muito. Mas ele pode organizar seu tempo de estudo em função da sua rotina. Por isso que, atualmente, boa parte dos alunos a distância já tem uma atividade profissional, filhos, uma dinâmica de vida que não permite ir todo dia a uma faculdade estudar", afirma Alcir.

Essa flexibilidade exige do estudante uma boa disciplina para manter os estudos em dia. "De certa forma, a rotina te organiza a vida na educação presencial: você vai todo dia para a faculdade, entra na sala de aula, os professores dão as aulas para você. Isso estabelece uma dinâmica de estudo. Na educação a distância, você está super conectado com os professores, tutores e colegas, mas é preciso que você defina seu ritmo de estudo. É preciso se organizar e definir um plano de estudo que caiba na sua vida", alerta. 

Mercado de trabalho
Aceito nacionalmente, o diploma de cursos a distância possui a mesma validade de cursos presenciais, já que não há sinalização da modalidade de ensino no documento.  Ainda assim, muitos ficam na dúvida sobre a aceitação de profissionais que cursaram EAD no mercado de trabalho. 

"Isso veio mudando ao longo do tempo por diversas questões. A educação a distância ganhou corpo: hoje são mais de 1,3 milhão de alunos apenas na graduação, e esses estudantes vêm apresentando ótimos resultados no Enade, com resultados iguais ou superiores aos alunos do presencial", diz Alcir. "Atualmente, todas as principais instituições, inclusive as mais tradicionais, oferecem cursos a distância, assim como as empresas, que também passaram a usar EAD em suas universidades corporativas. Tudo isso amplia a credibilidade da EAD, fazendo com que a aceitação tenha crescido substancialmente nos últimos anos", completa.

Relacionamento e networking
A ideia de que o aluno estuda sozinho e não se relaciona com os colegas de turma é outro grande mito dos cursos de educação a distância.

"Quando uma turma de EAD é criada, imediatamente os alunos já se conectam por meio das redes sociais e pelas ferramentas disponibilizadas no próprio ambiente virtual de aprendizagem. Arrisco a dizer que eles estão mais próximos por meio da tecnologia do que muitos alunos de cursos presenciais", afirma Alcir.

Além disso, é comum que as turmas de cursos a distância sejam compostas por alunos de diversos Estados e, até mesmo, de fora do país.

"O estudante pode aproveitar para criar redes de contato para estudo e para mercado. Já tivemos situações de alunos que se contrataram. O empresário que está fazendo o curso pode identificar no colega as características que ele busca em um profissional", diz.

Perfil dos alunos
Também se engana quem acha que estudar a distância é algo voltado apenas para jovens que dominam tecnologia.

Nos cursos de graduação do Senac EAD, por exemplo, boa parte dos alunos já finalizaram o ensino médio há um tempo e encontram na educação a distância um caminho para retomar os estudos, adaptando o tempo dedicado ao aprendizado de acordo com sua rotina.

"São pessoas que foram muito rápido para o mercado de trabalho, que não conseguiram fazer ensino superior e, em um momento mais avançado, querem voltar a estudar para ter outras oportunidades na carreira", afirma Alcir. "Também tem aquela pessoa que está terminando a carreira, já é formado, com pós-graduação, próximo da aposentadoria, e decide fazer outra coisa", completa.

Acompanhe aqui a entrevista completa com Alcir. Confira também o portfólio completo de cursos oferecidos pelo Senac EAD. 

Leia também:

Tecnologia reduz distância física e aproxima pessoas que cursam EAD

Saber gerenciar o próprio tempo é essencial para estudar a distância