05/01/2018

A necessidade de o aluno ter mais autonomia e disciplina é o principal diferencial entre os cursos a distância e os presenciais. 

homem sorrindo olhando para a tela de um computador

 

Reconhecida por especialistas como uma das principais ferramentas para a democratização da formação e capacitação no país, a educação a distância (EAD) tem atraído cada vez mais alunos.

Graças à expansão do acesso à internet, pessoas de todas as partes do Brasil, que teriam dificuldades em encontrar determinados cursos onde moram – ou que, por outros motivos, não voltariam às salas de aula presenciais –, têm conseguido novos estímulos para estudar a distância. E, por consequência, vêm tornam aptas a buscar melhores colocações no mercado de trabalho.

No entanto, o expressivo crescimento da EAD também tem gerado uma série de questionamentos a respeito da qualidade e do modelo dos cursos. Para esclarecer possíveis enganos a respeito do tema, Zilma Carvalho, coordenadora de pós-graduação do Senac EAD, comenta as principais dúvidas dos que ainda não estudaram a distância. Confira:

 

• Os cursos a distância são mais fáceis que os cursos presenciais?

A distância física ainda é um fator que nos remete a pensar em obter mais facilidade. Porém, na realidade, acontece exatamente o contrário. A EAD exige muito mais autonomia do aluno. Além disso, não ter o professor por perto, durante todo o tempo de aula, é um desafio a mais para quem quer aprender.

• Posso estudar quanto e quando eu quiser em um curso a distância?

Em parte. É verdade que o aluno de um curso a distância tem a chance de flexibilizar os horários de estudo. Porém, se ele não tiver organização e disciplina para fazer isso diariamente, em poucas semanas já não conseguirá dar conta das matérias e, com isso, prejudicará seu desempenho.

Além disso, o estudante deve organizar-se para participar dos encontros presenciais de avaliação que acontecem no polo escolhido no ato da inscrição. Eles acontecem ao final de cada semestre, são obrigatórios e as datas são previamente informadas.

• Nos cursos presenciais, a carga horária e a quantidade de matérias oferecidas são maiores que nos cursos a distância?

O que acontece, na verdade, é que a sensação de tempo na EAD é diferente. O conteúdo e a quantidade de horas são os mesmos, mas são divididos entre aulas, atividades de leituras, fóruns de discussão, conferências etc.

• Alguns alunos não têm perfil para estudar a distância?

É verdade. Estudar pelo computador exige uma concentração maior e, algumas vezes, a pessoa, no primeiro momento, não consegue alcançar sozinha a disciplina e a autonomia que os cursos a distância requerem. Além disso, temos de considerar que alguns alunos têm rotinas pessoais que não favorecem o estudo em casa. De qualquer forma, não são fatores impeditivos, pois é possível desenvolver a concentração e a disciplina, assim como ajustar o ambiente de estudo e adequá-lo para o acompanhamento de um curso a distância.

• É mais difícil avaliar o desempenho real do aluno na EAD?

Uma determinação do Ministério da Educação exige que os alunos dos cursos superiores a distância façam, ao menos, uma avaliação presencial na instituição na qual está matriculado. Nas pós-graduações do Senac EAD, por exemplo, essa prova acontece ao final de cada semestre e representa 60% da nota. Ou seja, se o aluno não fizer a avaliação ou burlar, de alguma forma, as tarefas que recebeu a distância, precisará estudar ainda mais para ser aprovado.

• O mercado de trabalho tem preconceito com profissionais formados em cursos a distância?

Há cerca de 10 anos, podíamos falar que essa era a realidade. Hoje, porém, o mercado está cada vez mais aberto, inclusive porque os recrutadores entendem que esses profissionais, durante o curso a distância, desenvolveram ou praticaram outras importantes características, como disciplina e organização pessoal – fatores cada vez mais valorizados no ambiente de trabalho. Um exemplo disso, aliás, é que o Senac EAD recebe cada vez mais alunos que têm bolsas de estudo pagas pelas próprias empresas em que trabalham.

• Há interação entre aluno e professor quando o curso é feito a distância?

O aluno tem várias oportunidades de interagir com o professor. Há fóruns de discussão, webconferências, além da possibilidade de enviar mensagens ou trocar e-mails e até mesmo, em alguns casos muito especiais, conversar por telefone. Porém, essa interação dependerá muito mais da solicitação do estudante do que da sugestão do professor.


Conheça o portfólio completo de cursos oferecidos pelo Senac EAD.