07/06/2018

pedagogia

Todos os professores em atuação no território nacional devem ter graduação até 2024. Essa é uma das metas estipuladas pelo Plano Nacional de Educação (lei nº 13.005/2014). Por isso, Caio Augusto Carvalho Alves, coordenador da graduação Licenciatura em Pedagogia do Senac EAD, acredita que a tendência é que a nação necessite mais de pedagogos. “Se pensarmos que muitos professores em exercício no Brasil não possuem graduação e não são pedagogos, é possível prever quão necessário ainda é esse profissional nesse contexto de atuação”.

Hoje há um predomínio de atuações em escolas, já que essa é, de fato, a grande demanda para esse profissional, mas o que faz esse profissional? Qual o seu maior desafio no mercado de trabalho? Entenda um pouco mais sobre o pedagogo, com professor Caio.


Qual o papel do pedagogo? O que faz esse profissional?

O pedagogo, na sociedade do conhecimento, tem um papel fundamental, pois ele domina as situações de aprendizagem. Assim como um médico planeja, executa e avalia situações relacionadas à saúde e um administrador planeja, executa e avalia situações relacionadas aos negócios, o pedagogo tem como campo de atuação a aprendizagem, o que não é pouco, visto que é possível aprender em inúmeros espaços.

Há alguns anos, a escola era entendida como o único local da aprendizagem. Mas, como essa é uma condição para qualquer instituição se situar devidamente em uma sociedade do conhecimento, a ação do pedagogo ganha novos contornos e novas perspectivas.

Quais habilidades que esse profissional deve desenvolver? 

Um bom pedagogo deve saber exercer bem suas competências básicas, que são planejar, desenvolver e avaliar. Ele deve saber ler nas relações e nos contextos em que se insere, saber quais são as aprendizagens a serem desenvolvidas, conhecer bem o público, analisar possibilidades, planejar ações, desenvolvê-las e avaliar o processo e as aprendizagens desenvolvidas continuamente.

Quais as oportunidades de trabalho que esse profissional encontra no mercado?

Tendo essa nova perspectiva sobre esse profissional, as possibilidades são muitas. Há pedagogos atuando, principalmente, em instituições de ensino, mas eles também podem ser encontrados em Organizações não Governamentais (ONGs), museus, empresas, hospitais, setores ligados ao serviço social, associações comunitárias, entre outros locais.

Qual o principal desafio dessa profissão?

O principal desafio está na visão que se tem a respeito da educação como um objeto de ciência, e não de amadores. Percebe-se que muitas áreas já têm forte caráter científico, como a área da saúde, na qual só profissionais podem atuar, ou a área das engenharias, em que ninguém confiará uma situação de construção a alguém que não seja um engenheiro.

Já a área educacional apresenta certa porosidade, ou seja, muitos outros profissionais que não são desse setor emitem opiniões, interferem nos processos e desvalorizam pareceres e avaliações emitidas por profissionais da área.

O pedagogo é um cientista, já que domina as ciências educacionais, assim seu trabalho não deveria ser alvo de intervenção de outros profissionais, como ocorre quando há desenvolvimento de competências em empresas. Ou quando há a construção de documentos educacionais importantes sem a devida consulta aos professores, ou quando um pai contesta a aplicação de um instrumento avaliativo aplicado ao seu filho.

Apesar da sociedade discursar indicando o valor da área educacional, as ações cotidianas apresentam o contrário quando o pedagogo não é consultado, respeitado e valorizado no domínio que tem sobre as situações de aprendizagem.


Caio Augusto Carvalho Alves é doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do curso Licenciatura em Pedagogia do Senac EAD.


Conheça a história de alunos de pedagogia EAD que criam plataforma de práticas de ensino para professores.

Veja também: Pedagogia: trabalhos de alunos da graduação são destaque em congresso de iniciação científica

Saiba como funciona o estágio da graduação a distância Licenciatura em Pedagogia.